General M'toto, deu uma licção de vida na up. Eduardo nihia falou do ii congresso da frelimo e da luta de libertação nacional

Acessos: 1121

Sala cheia no Anfiteatro Luís Nhanjolo - Faculdade de Ciências Sociais e Filosóficas (FCSF), para ver e ouvir o General falar da sua infância, a aventura até a vizinha Tanzânia e o ingresso na Frente de Libertação de Moçambique, a preparação militar na Argélia, a luta armada, o II Congresso da Frelimo em Matchedje em Julho de 1968, as zonas libertadas, a proclamação da Independência Nacional, em fim, foi uma viagem no tempo, no comboio da vida, da luta e da liberdade.
O General M'Toto, partilhou a sua história de coragem e heroicidade, sem dúvidas foi uma lição de vida, é preciso notar que os generais, sobretuto os militates nāo gostam de recordar o seu passado de guerrilheiros, duma luta armada com muitas vicissitudes.
M'Toto, recordou a sua chegada a Dar-és-Salam, em 1963, onde devido a sua idade e estatura física, foi aconselhado pelo presidente da Frelimo, Eduardo Mondlane, a continuar os estudos, mas ele se recusou afirmando que se juntou à Frelimo para combater o colonialismo. Foi nessa altura que ficou com a alcunha M'Toto, que significa criança, e assim se fez o temido General M'Toto, o homem que "voava". Casou no comboio, outra viagem, deve ser até hoje, o único moçambicano que casou num comboio em andamento, registo civil e festa no comboio, algures entre Nampula e Ribawè.
M'Toto falou das divergências no II Congresso da Frelimo e da inclusão das mulheres na luta armada, elas que antes só cozinhavam e alimentavam os combatentes, passaram a pegar em armas e algumas foram para frente de combate. Recordou José Moiane e Osvaldo Tanzama, Generais ha falecidos, falou de Raimundo Pachinuapa e Armando Guebuza e lembrou que por duas vezes Guebuza foi atingido por uma bala do inimigo e foi o General M'Toto quem o socorreu.
Aprendemos muito com o General Eduardo Nihia, que esteve na UP, na 5f. 27.09.18, a convite da Oficina de História Oral da FCSF da UP em parceria com o Centro de Pesquisa da História da Luta de Libertação Nacional (CPHLLN), do Ministério dos Combatentes. O Tema da Palestra foi: O II CONGRESSO DA FRELIMO e a LUTA DE LIBERTAÇÃO NACIONAL, teve como moderador o conhecido historiador Carlos Machil, que já foi Reitor da UP e que está muito engajado na Escola Doutaral de História, encorajando os doutorandos a pesquisar a partir das narativas da luta de libertação nacional e o estudo do pensamento de alguns destacados combatentes.

Imprimir